O dispositivo da maternidade em Tudo sobre minha mãe: entextualizações e processos escalares

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-e11313

Palavras-chave:

Almodóvar, Performances de maternidade, Dispositivo, Processos escalares, Entextualização,

Resumo

Neste artigo, entendemos a maternidade como um dispositivo que molda condutas e dá sustentação à família nuclear, mas que está sujeito a mutações e reapropriações. Propomonos a pensar em que medida o filme Tudo sobre minha mãe, ao desnaturalizar performances de maternidade, bem como as de gênero e sexualidade, estimula a reflexividade sobre o tema e enseja possíveis ressignificações. Para isso, selecionamos dois momentos mais recentes da trajetória textual (BLOMMAERT, 2005) que o filme vem percorrendo desde 1999 e os submetemos à análise, que privilegia, em termos de construtos teórico-analíticos, entextualizações (SILVERSTEIN; URBAN, 1996; BAUMAN; BRIGGS, 1990) e processos escalares (CARR; LEMPERT, 2016) para analisar tal reflexividade. O que observamos é que grande parte das desestabilizações queer que a narrativa fílmica promove inspiram posicionamentos, em novas entextualizações, que, muitas vezes, ratificam-nas e logram expandir o conceito de maternidade para além das associações biológico-instintivas, que prevalecem no senso comum (SCAVONE, 2001; FIDALGO, 2003; PINHEIRO, 2014).

Biografia do Autor

Clarissa Gonzalez, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Faculdade de Letras. Rio de Janeiro - RJ

Bolsista de pós-doutorado (PNPD/CAPES), foi professora substituta do Departamento de Comunicação da UFF. Doutora em Artes (menção Cum Laude) pela Universidade Complutense de Madrid, mestre em Linguística Aplicada Interdisciplinar pela UFRJ, especialista/MBA em Marketing pela Estácio, tem duas graduações: Jornalismo e Cinema, ambas cursadas na UFF. Possui mestrado profissional em Web Design (Euroinnova, Granada, Espanha) e especialização em Arte Emergente no IART: Instituto Superior de Arte

Luiz Paulo da Moita Lopes, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Faculdade de Letras. Rio de Janeiro - RJ

Professor Titular do Programa Interdisciplinar de Lingüística Aplicada da UFRJ e Pesquisador do CNPq. É PhD em Lingüística Aplicada pela Universidade de Londres. Foi presidente da Associação de Lingüística Aplicada do Brasil, atuou como representante da área de Letras e Lingüística no Conselho de Assessores do CNPq e como conselheiro da Associação de Pós-Graduação em Letras e Lingüística (ANPOLL). Já publicou oito livros no Brasil (Oficina de Lingüística Aplicada, Identidades Fragmentadas, Discursos de Identidades, Identidades - Recortes Multi- e Interdisciplinares, Por uma Linguística Aplicada INdisciplinar, Performances, Para além da identidade: fluxos, movimentos e trânsitos e Estudos de identidade: entre saberes e práticas) e artigos em revistas científicas e capítulos de livros no Brasil, México, Estados Unidos, Holanda e Inglaterra. Atua na área de lingüística aplicada, especificamente no campo das relações entre o discurso e as práticas sociais, com ênfase em estudos sobre letramentos escolares (língua estrangeira e materna) e não-escolares (midiáticos) e os processos de construção das identidades sociais (gênero, sexualidade e raça)

Publicado

05/06/2020

Edição

Seção

Artigos Originais