Introduzindo argumentos à estrutura verbal Karitiana

Autores

  • Ivan Rocha Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. São Paulo - SP e Programa de Capacitação Institucional (PCI/CNPq), Museu Paraense Emílio Goeldi. Belém - PA, Brazil. https://orcid.org/0000-0001-6533-4528

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-e11678

Palavras-chave:

Estrutura Argumental, Aplicativos, Classes Verbais, Língua Karitiana,

Resumo

O artigo discute o processo de introdução de argumentos adicionais à estrutura básica do verbo na língua Karitiana (língua da família Tupi, subfamília Arikém, localizada em Rondônia, com uma população de 396 indivíduos e 333 falantes). Adota-se, para análise e discussão dos dados, duas propostas teóricas (i) a teoria de estrutura argumental de Hale e Keyser (2002) e (ii) a proposta teórica de núcleos aplicativos de Pylkkänen (2008). Na proposta teórica (i), Karitiana apresenta quatro tipos de verbos (1 - intransitivo, 2 - intransitivo com objeto oblíquo, 3 - transitivo e 4 - bitransitivo), já na segunda proposta, por sua vez, mais econômica, a língua é analisada como tendo apenas dois tipos verbais (1 - intransitivo e 2 - transitivo). Nesta última, o sistema verbal Karitiana apresenta duas estruturas básicas em que argumentos extras são incrementados por meio de núcleos aplicativos e Voice. Este adiciona argumentos altos na estrutura em estruturas causativas. Os aplicativos são de dois tipos, isto é, o alto que insere um argumento extra acima do VP e o baixo que adiciona argumentos extras abaixo ou internamente ao VP.

Biografia do Autor

Ivan Rocha, Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. São Paulo - SP e Programa de Capacitação Institucional (PCI/CNPq), Museu Paraense Emílio Goeldi. Belém - PA, Brazil.

É pesquisador visitante no Museu Paraense Emílio Goeldi no Programa de Capacitação Institucional (MCTIC/CNPq) e Pós-Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Diversidade Sociocultural, desenvolvendo um projeto de descrição e documentação linguísticas a fim de produzir dicionários multimídias de línguas indígenas. Antes do atual projeto, desenvolveu um estágio pós-doutoral na Universidade de São Paulo sobre a semântica de tempo e aspecto em Karitiana. Possui bacharelado, mestrado e doutorado em Linguística pela Universidade de São Paulo e, durante o doutorado, foi pesquisador visitante na Universidade do Texas (EUA) através do programa BEPE/FAPESP, por um ano, onde desenvolveu uma pesquisa sobre orações subordinadas e nominalizações em Karitiana. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: análise, descrição e documentação de línguas originárias (indígenas) da Amazônia, Léxico, Estrutura Argumental, Morfossintaxe, Sintaxe e Semântica. Tem interesse em Linguística Computacional, Teoria da Mente, Ciência Cognitiva e Neurociências da Linguagem. Sua formação acadêmica e pesquisa foram financiadas através de bolsas da Fundação Volkswagen na graduação, do CNPq no mestrado, FAPESP no doutorado e CAPES e CNPq no pós-doutorado.

Publicado

21/10/2020

Edição

Seção

Artigos Originais