A linguística em manuais brasileiro e soviético

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-e11752

Palavras-chave:

Análise comparativa de discursos, Manuais de Introdução à Linguística, Brasil, União Soviética,

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar os resultados de uma pesquisa em análise comparativa de manuais de introdução à linguística brasileiro e soviético do final dos anos 1960 e início dos anos 1970. A delimitação do material de comparação foi empreendida por meio do procedimento metodológico denominado tertium comparationis, tal como ele foi desenvolvido pelos pesquisadores do Clesthia – axe sens et discours. A análise dos manuais foi orientada pelos conceitos e procedimentos elaborados por Bakhtin e o Círculo. Concluímos que a história da ciência nas duas línguas/culturas, o diálogo com a linguística desenvolvida em países com maior tradição na área e o meio social mais amplo foram fatores que fixaram limites, exerceram pressões e direcionaram sentidos para as apresentações da linguística aos futuros integrantes dessa ciência. A interação desses três processos sociohistóricos são fundamentais na definição das escolas linguísticas, na delimitação do objeto da linguística e na avaliação dos seus métodos.

Publicado

21/10/2020

Edição

Seção

Artigos Originais