Organização sociorretórica bidimensional do gênero digital homepage em disciplinas de curso online

Autores

  • Mercedes Fátima de Canha Crescitelli Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes, Campus Perdizes, São Paulo – SP - Brasil. https://orcid.org/0000-0001-5276-8773
  • Karlene do Socorro da Rocha Campos Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes, Campus Perdizes, São Paulo – SP - Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8560-4908

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-e12306

Palavras-chave:

Organização sociorretórica, Gênero textual digital, Homepage

Resumo

Neste trabalho, analisamos como se constitui a organização sociorretórica das homepages de disciplinas online na perspectiva da análise bidimensional de gêneros (ASKEHAVE; NIELSEN, 2004). Em Crescitelli e Campos (2015), analisamos homepages de disciplinas de curso de graduação a distância com base em Swales (1990), examinando sua organização sociorretórica e levantando passos e movimentos retóricos que as constituíam. Aqui, examinamos as mesmas homepages na perspectiva bidimensional, verificando, nos modos de leitura e navegação, propósitos comunicativos, unidades funcionais (movimentos retóricos e links) e estratégias retóricas empregadas para o alcance deles. No caso dos links, fundamentamo-nos na teoria de sequências textuais de Adam (1992) e examinamos as sequências predominantes na articulação das lexias hipertextuais. Pautamo-nos em estudos de gênero como ação social (MILLER, 2009a, 2009b, 2009c; BAZERMAN, 2006, 2009a, 2009b; SWALES, 1990; BHATIA, 1993); gênero textual digital (MARCUSCHI, 2010; ASKEHAVE; NIELSEN, 2004) e hipertexto (LEMKE, 2002; FINNEMANN, 1999). Trata-se de estudo de caso, com observação e descrição de um fenômeno em contexto específico (MARTINS, 2008; YIN, 2005, 1984; TRIVIÑOS, 1987). Os resultados obtidos demonstram que conhecer a organização sociorretórica do gênero homepage propicia a organização de conteúdo pedagógico mais voltada aos interesses e às necessidades dos usuários, contribuindo para o envolvimento do aluno com o processo educacional.

Biografia do Autor

Mercedes Fátima de Canha Crescitelli, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes, Campus Perdizes, São Paulo – SP - Brasil.

Graduada e Licenciada em Letras, Especialista no Ensino de Língua Portuguesa no 1o. e 2o. graus e Mestre em Língua Portuguesa pela PUC-SP, Doutora em Filologia e Língua Portuguesa pela USP, com Pós-Doutorado em Lingüística na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) (com Kazue Saito Monteiro de Barros e Luiz Antonio Marcuschi) sobre gêneros textuais digitais na interação em EAD. É professora na Categoria Associado da PUC-SP; orientadora e pesquisadora do Programa de Estudos Pós-graduados em Língua Portuguesa; coordenadora de cursos de extensão a distância e Assistente Especializada em Assuntos de Pesquisa da Reitoria. Foi por 4 anos Assessora da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da PUC-SP; Coordenadora do Curso de Letras por 6 anos e Diretora Adjunta da Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes por 4 anos. Avaliadora de cursos de graduação presenciais e a distância do INEP/SINAES/MEC, possui experiência em pesquisa em Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, atuando principalmente com temas como interação, ensino de língua portuguesa, discurso/texto eletrônico, educação a distância, língua falada e gêneros digitais. Orienta pesquisas de IC, lato sensu, mestrado e doutorado sobre eles. Possui artigos e capítulos de livros publicados no Brasil e no exterior e participou de variados encontros científicos internacionais, com apresentação de trabalhos sobre os temas citados. Integra o Grupo de Trabalho de Lingüística Textual e Análise da Conversação da Associação Nacional de Pós-graduação em Letras/Linguística (ANPOLL).

Karlene do Socorro da Rocha Campos, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes, Campus Perdizes, São Paulo – SP - Brasil.

Doutora em Língua Portuguesa pela PUC-SP, com pesquisa voltada para o estudo do gênero homepage em contexto educacional. É professora do Departamento de Português da PUC-SP, onde ministra disciplinas presenciais, semipresenciais e a distância em cursos de graduação, extensão e especialização É também professora na Escola Superior de Engenharia e Gestão - ESEG, onde ministra disciplina presencial em cursos de graduação, que visa ao aprimoramento da comunicação empresarial. Possui experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, atuando principalmente com os seguintes temas: ensino de língua portuguesa para fins específicos, interação, discurso eletrônico, educação a distância via Internet, gêneros textuais digitais.

Publicado

29/10/2020

Edição

Seção

Artigos Originais