[DAR UMA N-ADA SPrep]

uma análise construcional

Autores

  • Alzira da Penha Costa Davel Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Rio de Janeiro - RJ - Brasil.
  • Maria da Conceição Paiva Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Rio de Janeiro - RJ - Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-e14481

Palavras-chave:

construção, [DAR UMA N-ADA SPrep], expansão, mudança

Resumo

Com base nos pressupostos dos Modelos Baseados no Uso (MBU), em especial, da Gramática de Construções Cognitiva, examinamos, neste artigo, o padrão construcional [DAR UMA N-ADA SPrep] e discutimos sua relação com a construção bitransitiva. A partir de dados diacrônicos e sincrônicos, coletados na base digital do Corpus do Português (DAVIES; FERREIRA, 2006), buscamos evidências para o processo de construcionalização do padrão denominal e sua expansão no português moderno/contemporâneo. Partimos da hipótese de que a construção denominal [DAR UMA N-ADA SPrep] licencia dois subesquemas distintos de acordo com as características do nome base e de que é sancionada por um esquema mais abstrato [DAR UMA N-ADA (SPrep)] que sanciona também a construção deverbal V-DA. As evidências diacrônicas e a análise das propriedades morfossintáticas, semânticas e discursivas de instâncias coletadas em sites e blogs forneceram argumentos favoráveis à postulação de dois subesquemas ligados a um padrão mais geral [DAR UMA N-ADA SPrep]: um subesquema com nominalizações resultantes de nomes de instrumentos e outro resultante de nomes de partes do corpo. Além disso, constatamos uma relação de herança parcial entre a construção denominal e a construção bitransitiva de transferência de posse, principalmente daquelas formadas por nominalizações que tomam como base nomes de instrumentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

03/05/2022

Como Citar

DAVEL, A. da P. C. .; PAIVA, M. da C. [DAR UMA N-ADA SPrep]: uma análise construcional. ALFA: Revista de Linguística, São Paulo, v. 66, 2022. DOI: 10.1590/1981-5794-e14481. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/14481. Acesso em: 23 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais