A coordenação adversativa substitutiva não x, mas y

uma análise discursivo-funcional para o apagamento sintático

Autores

  • Gabriel Henrique Galvão Passetti Universidade Estadual Paulista (Unesp). Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). São José do Rio Preto – SP – Brasil. https://orcid.org/0000-0001-5001-6666
  • Erotilte Goreti Pezatti Universidade Estadual Paulista (Unesp). Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). São José do Rio Preto – SP – Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8822-9587

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-e15488

Palavras-chave:

Coordenação adversativa, Contraste, MasSN, Apagamento, Gramática Discursivo-Funcional

Resumo

Este artigo investiga, sob a perspectiva da Gramática Discursivo-Funcional, a coordenação adversativa substitutiva, em que o segundo membro coordenado – e, às vezes, o primeiro também – é expresso por sintagma ou palavra, como em cê num dá tanto valor ao ídolo, mas à música dele. Essas estruturas têm recebido pouca atenção por parte de estudos funcionalistas, com exceção da Semântica Argumentativa (ANSCOMBRE; DUCROT, 1977; VOGT; DUCROT, 1980). De acordo com a teoria aqui adotada, nessas expressões, há dois Atos Discursivos relacionados, tendo o segundo membro da coordenação molde de conteúdo Tético com um Subato. Semanticamente, ambos os membros constituem Conteúdos Proposicionais e, em última instância, predicações, em que o segundo membro apresenta molde de predicação Identificacional, Classificacional ou Relacional, formulados numa interação entre os componentes Gramatical e Contextual. Assim, o segundo membro da coordenação é expresso por um único sintagma ou palavra, que introduz a informação nova (focal), considerada pelo Falante importante para atualizar a informação pragmática do Ouvinte. Advogamos, em consonância com o modelo teórico adotado, que não há apagamento de constituintes da predicação no segundo membro, mas que o fenômeno é resultado de uma discrepância (mismatch) entre os níveis pragmático e semântico na gramática do português.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Henrique Galvão Passetti, Universidade Estadual Paulista (Unesp). Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). São José do Rio Preto – SP – Brasil.

É licenciado (2018) em Letras (Português/Francês) pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE), Câmpus de São José do Rio Preto, mestre em Estudos Linguísticos (2021) pelo Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos (PPGEL) do mesmo Instituto, doutorando em Estudos Linguísticos do PPGEL e membro do Grupo de Pesquisa em Gramática Funcional (GPGF). Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Gramática Discursivo-Funcional (GDF), atuando principalmente nos seguintes temas: Coordenação adversativa de constituintes não oracionais (palavras e sintagmas).

Erotilte Goreti Pezatti, Universidade Estadual Paulista (Unesp). Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). São José do Rio Preto – SP – Brasil.

É graduada em Letras (Licenciatura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, mestre em Linguística pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e concluiu Pós-Doutorado em Gramática Discursivo-Funcional pela Universidade de Amsterdam - Holanda (2005) e pelo Instituto de Linguística Teórica e Computacional em Lisboa - Portugal (2012). Professora Associada da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho ? Campus de São José do Rio Preto, atua na Graduação e na Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da UNESP/SJRP, na linha de pesquisa Descrição e análise funcional de língua falada e escrita, tendo sido coordenadora do Programa no período de 2013 a 2017. É bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq, desde 1994, e líder do Grupo de Pesquisa em Gramática Funcional (GPGF), cadastrado no CNPq desde 2002. Foi coordenadora da Área de Linguística da FAPESP de abril de 2013 a outubro de 2020. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente no desenvolvimento de temas como: ordenação de constituintes na sentença, articulação de orações, estrutura argumental e tipologia linguística. É autora do livro "A ordem de palavras em português", e coautora dos livros "A relação conclusiva na língua portuguesa: funções resumo, conclusão e consequência" e "As interrogativas de conteúdo na história do português brasileiro : uma abordagem discursivo-funcional", e organizadora dos livros "Pesquisas em Gramática Funcional: descrição do português" e "Construções subordinadas na lusofonia: uma abordagem discursivo-funcional" e "Construções coordenadas nas variedades portuguesas: uma abordagem discursivo-funcional".

Publicado

25/04/2023

Como Citar

GALVÃO PASSETTI, G. H.; PEZATTI, E. G. A coordenação adversativa substitutiva não x, mas y: uma análise discursivo-funcional para o apagamento sintático. ALFA: Revista de Linguística, São Paulo, v. 67, 2023. DOI: 10.1590/1981-5794-e15488. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/15488. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais