A função de conectores argumentativos no texto da proposta curricular de Minas Gerais

Autores

  • Gustavo Ximenes Cunha UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais / Belo Horizonte – MG

Palavras-chave:

Proposta curricular de Minas Gerais, Conectores, Argumentação, Modularidade,

Resumo

Este artigo propõe um estudo do texto da proposta curricular do Estado de Minas Gerais, verificando aspectos da relação instaurada entre a instância de produção da proposta – a Secretaria de Educação – e a instância de destinação dessa proposta – o professor de português da rede estadual de ensino. Centrando a atenção no emprego dos conectores, a análise realizada adota os pressupostos teóricos do Modelo de Análise Modular do Discurso, para investigar em que medida esse emprego é decorrente da maneira como a Secretaria de Educação “imagina” o professor ao qual se dirige. O que se constatou foi um predomínio dos conectores que marcam a relação genérica de argumento. Na proposta curricular, esses conectores são empregados com a função de direcionar a leitura do professor, explicitando que as informações por eles introduzidas são argumentos, justificativas, explicações ou exemplos, cujo papel é o de convencer esse professor de que novas concepções de língua e de linguagem devem guiar a sua prática em sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

CUNHA, G. X. A função de conectores argumentativos no texto da proposta curricular de Minas Gerais. ALFA: Revista de Linguística, São Paulo, v. 54, n. 1, 2010. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/2877. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais