A tradução da différance: dupla tradução e double bind

Paulo Ottoni

Resumo


Na dimensão desconstrutivista proposta por Jacques Derrida a tradução é encarada como um acontecimento da linguagem. Discuto as implicações entre desconstrução e tradução para mostrar como o papel do tradutor de deflagrar a língua está latente nesse acontecimento.,O tradutor passa a ser um sujeito que intervém de maneira efetiva na transformação e produção de significados, por meio de uma espécie de implante, de contaminação entre as línguas envolvidas na tradução. Analiso introduções, prefácios, posfácios e notas dos tradutores, revisores e editores dos livros e textos editados em português de Derrida, com o objetivo de examinar como as várias traduções do neografismo différance comporta toda a problemática da dimensão desconstrutivista promovida pelo double bind: a necessidade e impossibilidade da tradução. Essa dimensão permite a disseminação de várias alternativas de tradução, gerando o que considero efeitos de tradução da différance no "jogo da desconstrução" e revelando, de modo específico, uma espécie de dupla tradução. Essa disseminação é um acontecimento magistral que encena, ao mesmo tempo, o próprio jogo da différance, (con)fundindo desconstrução e tradução, e o double bind: traduzindo e não traduzindo différance.


Palavras-chave


Tradução; desconstrução: dupla tradução; différance; double bind;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1981-5794