Aspecto inerente e passado imperfectivo no português: atuação dos princípios da persistência e da marcação

Autores

  • Raquel Meister Ko. Freitag UFS – Universidade Federal de Sergipe. Centro de Educação e Ciências Humanas – Núcleo de Pós-Graduação em Letras. São Cristóvão – SE – Brasil

Palavras-chave:

Passado imperfectivo, Gramaticalização, Motivações convergentes,

Resumo

Neste texto são apresentados indícios da ação dos princípios da persistência (HOPPER, 1991) e da marcação (GIVÓN, 2001) na gramaticalização das formas de expressão do passado imperfectivo no português. O controle do aspecto inerente ao verbo em um modelo quantitativo apontou que o traço aspectual [dinamismo] determina as associações entre formas na expressão do passado imperfectivo, por conta do histórico aspectual de PPROG, marcado com relação direta com o traço [+ dinâmico], e IMP, associado com o traço [- dinâmico] por conta do seu histórico de marcar distanciamento. Esses resultados sugerem que a persistência e a marcação podem ser consideradas motivações convergentes no processo de variação na expressão do passado imperfectivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Edição

Seção

Artigos Originais