A linguagem da colaboração crítica no desenvolvimento da agência de professores de ensino médio em serviço

Autores

  • Maria Otilia Guimarães Ninin PUC-SP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo – São Paulo
  • Maria Cecília Camargo Magalhães PUC-SP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo – São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1711-7

Palavras-chave:

Colaboração crítica, Pesquisa crítica de colaboração, Agência relacional, Agência transformativa,

Resumo

Objetiva-se, neste artigo, discutir a linguagem da colaboração crítica no desenvolvimento da agência (EDWARDS, 2005, 2007; YAMAZUMI, 2007; ENGESTRÖM, 2007, 2008, 2009, 2011; ENGESTRÖM e SANNINO, 2011; VIRKKUNEN, 2006a, 2006b) de professores de Ensino Médio em serviço, tomando-se como contexto de pesquisa o projeto de formação de professores, LEDA – Leitura e Escrita nas Diferentes Áreas, realizado em escola pública de município da Grande São Paulo. Metodologicamente, está ancorado na Pesquisa Crítica de Colaboração (PCCol) (MAGALHÃES, 2009; 2011; 2012), caracterizada como pesquisa de intervenção com foco na desencapsulação e transformação da aprendizagem escolar, e organizado em encontros quinzenais com 6 professores de diferentes áreas do conhecimento, 1 coordenadora pedagógica da área de Linguagem e 4 pesquisadores da área da Linguística Aplicada. Os encontros de formação focalizam as relações entre os participantes a partir da discussão sobre práticas didático-pedagógicas. Com base na análise dos dados coletados por meio de videogravação, resultados preliminares ressaltam mudanças na significação atribuída pelos participantes a respeito das práticas didático-pedagógicas realizadas em sala de aula e indicam posicionamentos assumidos pelos professores participantes de modo consciente e teoricamente fundamentado, caracterizando o desenvolvimento de agência relacional e transformativa, bem como a emergência de uma prática profissional responsiva.

Biografia do Autor

Maria Otilia Guimarães Ninin, PUC-SP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo – São Paulo

Maria Otilia Guimarães Ninin fez Mestrado e Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP; e Pós-doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem, com foco na escrita acadêmica. É professora titular da Coordenadoria Geral de Especialização, Aperfeiçoamento e Extensão (COGEAE - PUC-SP); professora titular da Universidade Paulista, curso de Letras; coordenadora do curso de pós-graduação lato sensu Língua Portuguesa e Literatura (UNIP-SP). Realizou estudos complementares de doutorado na universidade de Bath-UK, sob orientação do Professor Dr. Harry Daniels, na área de Teoria da Atividade Sócio-Histórico-Cultural.

Maria Cecília Camargo Magalhães, PUC-SP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo – São Paulo

Maria Cecília Camargo Magalhães é Doutora em Educação pelo College of Education – Virginia Polytechnic Institute and State University (1990) em Currículo e Instrução com foco na leitura e em formação contínua de professores, com base na metodologia colaborativo-crítica. Professora titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – Departamento de Linguística e PEPG em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Linguística Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino-aprendizagem de língua materna e estrangeira, leitura e escrita no ensino-aprendizagem em diferentes áreas do conhecimento, formação contínua de professores colaborativos e críticos, metodologia de pesquisa Crítica de Colaboração. Sua pesquisa está embasada no quadro da Teoria da Atividade Sócio-Histórico-Cultural e na concepção enunciativa de linguagem (Volochínov e Bakhtin). É uma das líderes do Grupo de Pesquisa Linguagem em Atividades no Contexto Escolar – LACE Bolsista Produtividade do CNPq.

Publicado

19/12/2017

Edição

Seção

Artigos Originais