Protocolo de avaliação de softwares pedagógicos: analisando um jogo educacional digital para o ensino de língua portuguesa

Autores

  • Nukácia Meyre Silva Araújo Universidade Estadual do Ceará (UECE), Centro de Humanidades – LaJogos, Fortaleza – CE
  • Fernanda Rodrigues Ribeiro Freitas Universidade Estadual do Ceará (UECE), Centro de Humanidades – LaJogos, Fortaleza – CE

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1709-6

Palavras-chave:

Ensino-aprendizagem de Língua Portuguesa, Jogos educacionais digitais, Protocolo de avaliação,

Resumo

Como reflexo dos avanços das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação, e visando complementar o ensino, ferramentas digitais interativas, entre as quais podemos citar os jogos pedagógicos digitais, têm estado muito presentes nas escolas brasileiras. Assim, concorrem, hoje, na sala de aula, materiais didáticos impressos e digitais (doravante MDDs). Os MDDs, assim como materiais impressos, precisam passar por uma avaliação rigorosa. Sendo assim, neste trabalho, que foi embasado em Bakhtin/Volochínov (2009); Geraldi (2011); Halliday et al. (1974); e Koch (2002), propomo-nos a responder como se deve avaliar a qualidade de jogos pedagógicos digitais destinados ao ensino de língua materna. Quanto ao principal objetivo da pesquisa, pretendemos, a partir do Protocolo de Avaliação de Softwares Pedagógicos, que desenvolvemos para realizar essa investigação, avaliar a qualidade didáticopedagógica e ergonômica de jogos pedagógicos digitais disponíveis online. Na pesquisa, de caráter descritivo, avaliamos um jogo pedagógico digital destinado ao ensino de Língua Portuguesa. A análise revelou que, embora se tratasse de um jogo educacional digital de qualidade, esse objeto apresentou inadequações tanto quanto aos aspectos didático-pedagógicos quanto aos ergonômicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nukácia Meyre Silva Araújo, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Centro de Humanidades – LaJogos, Fortaleza – CE

Graduada em Letras pela Universidade Estadual do Ceará (1992), mestre em Linguística (1998) e doutora em Educação (2008) pela Universidade Federal do Ceará. Atualmente é coordenadora do Mestrado Profissional em Letras-PROFLETRAS/UECE, professora do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada (PosLA) e do Curso de Letras da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Atuou como colaboradora na equipe da Diretoria de Educação a Distância do IFCE, nos cursos da Universidade Aberta do Brasil-UAB. Tem experiência nas áreas de Educação, Linguística e Linguística Aplicada, com ênfase em Língua Portuguesa e atua principalmente com os seguintes temas: ensino de língua portuguesa, linguagem e novas tecnologias, educação a distância, formação de professores, elaboração de material didático, história da leitura, gêneros textuais. Desenvolve pesquisas na área de ensino e novas tecnologias, produção de material didático digital e em Linguística Histórica, especialmente em história dos gêneros discursivos. Em sua experiência administrativa, destacam-se Direção do Centro de Humanidades da UECE, Assessoria à Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa da mesma universidade e Coordenação do Curso de Especialização em Ensino de Língua Portuguesa - CH/UECE. Consultora Ad-hoc FINEP CT-Infra/2013.

Fernanda Rodrigues Ribeiro Freitas, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Centro de Humanidades – LaJogos, Fortaleza – CE

Graduada em Letras Português/ Literatura (2010) pela Universidade Estadual do Ceará (UECE) e é mestre (2013) e doutoranda em Linguística Aplicada pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada (PosLA) da mesma instituição. Atualmente desenvolve pesquisas na área de ensino e tecnologias digitais interativas e de produção de material didático digital (MDD). Tem experiência nas áreas de Linguística Aplicada, com ênfase em Língua Portuguesa, e atua principalmente com os seguintes temas: ensino de língua portuguesa; linguagem e novas tecnologias; elaboração de material didático e gêneros textuais.

Publicado

01/09/2017

Edição

Seção

Artigos Originais