Representações discursivas da Escola Democrática do DF na mídia jornalística

Autores

  • Thaís Lôbo Junqueira Universidade de Brasília (UnB), Instituto de Letras, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Brasília, Distrito Federal
  • Francisca Cordelia Oliveira da Silva Universidade de Brasília (UnB), Instituto de Letras, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Brasília, Distrito Federal

DOI:

https://doi.org/10.1590/1981-5794-1807-3

Palavras-chave:

Análise de discurso crítica, Representações discursivas, Teoria da semiótica social da multimodalidade, Violência escolar,

Resumo

Neste artigo, tratamos da accountability horizontal, da accountability societal vertical, da representação e da intertextualidade a fim de analisar as representações discursivas da escola democrática, da qualidade da democracia (DIAMOND; MORLINO, 2005; O’DONNEL, 1998) e da violência (MINAYO, 2006, 2009) que reproduzem relações de dominação e de exploração (FAIRCLOUGH, 2003). Esse estudo demonstra como os efeitos potenciais de sentido que a mídia jornalística transmite, no gênero reportagem, legitimam relações sociais hegemônicas. A análise linguística dos textos verbais, não verbais e multimodais da reportagem do portal de notícias Metrópoles sobre escolas públicas do Distrito Federal focou a seleção lexical de textos verbais, o enfoque multimodal e as metáforas utilizadas com base na Análise de Discurso Crítica (ADC) (FAIRCLOUGH, 2001, 2003, 2006) e na Teoria da Semiótica Social da Multimodalidade (TSSM) (KRESS; VAN LEEUWEN, 2001, 2006 [1996]; KRESS, 2010). Nesta pesquisa, evidenciou-se que o jornalista legitimou relações sociais hegemônicas, apesar de demonstrar alto comprometimento com a identidade social criada para o Governo do Distrito Federal por meio das metáforas que utilizou e da seleção lexical que fez dos relatos dessas autoridades.

Biografia do Autor

Thaís Lôbo Junqueira, Universidade de Brasília (UnB), Instituto de Letras, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Brasília, Distrito Federal

Mestranda em Linguística pela Universidade de Brasília, Especialista em Letramento e Práticas Interdisciplinares nos Anos Finais pelo CFORM/MEC/UnB e Professora de LEM-Inglês e Francês da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEDF). 

Francisca Cordelia Oliveira da Silva, Universidade de Brasília (UnB), Instituto de Letras, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Brasília, Distrito Federal

Doutora em Linguística pela Universidade de Brasília (UnB), onde atua como Professora Adjunta, como Coordenadora Geral do curso da Licenciatura em Letras EaD e como orientadora em pesquisas voltadas para a Análise de Discurso Crítica (ADC) e para a Leitura e Produção de Textos na graduação e na pós-graduação. 

Publicado

08/08/2018

Edição

Seção

Artigos Originais