IDENTIDADE POLÍTICA, LITERATURA DE CORDEL E INTERDISCURSO

Maria Silvia Olivi Louzada, Roberto Louzada

Resumo


Tomam-se como corpora três folhetos de literatura de cordel para discutir sobre os modos de construção do conceito de identidade política, sua relação com a memória social e discursiva, os discursos repetíveis, os deslizamentos e as subversões de sentido. A análise de discurso considera que a identidade é um movimento que se faz na história e que, por isso, dá-se entre unidade e dispersão: refere-se às posições do sujeito, as chamadas identidades de posicionamento, e às suas filiações aos interdiscursos. O suporte teórico respalda-se em autores, tais como Michel Pêcheux, Dominique Maingueneau, Roberto DaMatta, Karina Kuschnir e Max Weber, que contribuem com reflexões pertinentes sobre o conceito de identidade política.

Palavras-chave


Identidade política; literatura de cordel; interdiscurso.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21709/casa.v10i1.5281



E-ISSN: 1679-3404