O (Meta)Andamento de India Song: reflexões sobre a lentidão

Maurício Oliveira Santos

Resumo


O livro India Song de Marguerite Duras, designado como “texto teatro filme” e, portanto, caracterizado por sua pluralidade semiótica, apresenta várias estratégias de agenciamento temporal, que podem ser comparadas a estratégias típicas do universo da composição musical. Nesse contexto, é pertinente estabelecer um paralelo, no campo verbal, com a noção musical de andamento. O andamento dominante é lento. Nesta análise, a lentidão é abordada em três níveis complementares: figurativo (a figura do ventilador como índice de um meta-andamento); simbólico (a constituição do lugar como espaço simbólico de representação); e gerativo (o ralentamento como processo gerativo da obra).

Palavras-chave: Marguerite Duras. Literatura Francesa Século XX. Literatura e Música.

Palavras-chave


Marguerite Duras; literatura francesa século XX; literatura e música; Marguerite Duras; French literature 20th century; literature and music.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21709/casa.v3i2.587



E-ISSN: 1679-3404