Traduzindo La Corona, de John Donne

Lawrence Flores, Marcus de Martini

Resumo


A obra do poeta inglês John Donne (1572-1631) é mais conhecida no Brasil a partir dos poemas amorosos traduzidos por Augusto de Campos. A poesia religiosa donneana, no entanto, permanece pouco conhecida e traduzida. A seqüência de sete sonetos religiosos que compõe La Corona foi traduzida no país apenas por Afonso Félix de Sousa (1983). Assim, o objetivo deste trabalho é apresentar uma nova proposta de tradução para o conjunto, o qual apresenta notáveis difi culdades de tradução, especialmente formais, já que o último verso de cada soneto serve de início para o soneto seguinte, encadeando todos os poemas do conjunto. A partir disso, procurou-se fazer uma análise das características da poesia de Donne, bem como de todos os sonetos de La Corona, a fi m de orientar uma tradução que desse conta tanto dos aspectos formais, quanto conteudísticos desses sonetos.

Palavras-chave: La Corona. Poesia religiosa. Tradução. Poesia inglesa.

Palavras-chave


La Corona;Poesia religiosa;Tradução;Poesia inglesa

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1981-7886
ISSN: 0101-3505