Hilda Hilst e a espiral: metáfora para uma poética latino-americana

Joelma Rodrigues

Resumo


Este artigo se propõe tratar de alguns aspectos da poética de Hilda Hilst, que, com o recurso simbólico da espiral (inspirada em Avalovara, de Osman Lins), servem como metáfora de uma poética latino-americana. Tomei por referência principal a ficção A obscena Senhora D (1982) e o livro de poesias Do desejo (1992), de Hilda Hislt, procurando passear pelas nuanças discursivas da literatura e cultura latino-americanas - sua colonização e o processo de modernização/modernismo.

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1981-7886
ISSN: 0101-3505