A escritura hibrida de Pascal Quignard em Les Ombres Errantes

Érica Milaneze

Resumo


Consideradas inclassifi cáveis pela crítica literária francesa, algumas obras de Pascal Quignard libertam-se das imposições de gênero para se situar nas fronteiras entre a prosa, a poesia, o romance, a narrativa, o ensaio e a música, formando narrativas híbridas que privilegiam o descontínuo e o inacabado. Desta forma, Les ombres errantes (2002), de Pascal Quignard, apresenta inúmeros fragmentos, compostos de pequenas notas, confi dências pessoais, anedotas, comentários sobre arte, política, economia, etc., que aproximam o passado ao presente por meio das refl exões de uma voz poética, a fi m de resgatar as sombras que a tradição cultural relegou em seu caminho. Em Les ombres errantes, a prosa e a poesia se mesclam em uma escritura híbrida, em que a história e a imaginação se entrecruzam no interior de um texto fragmentado.

Palavras-chave: Literatura contemporânea. Literatura francesa. Narrativa híbrida. Pascal Quignard.

Palavras-chave


Literatura contemporânea; Literatura francesa; Narrativa híbrida; Pascal Quignard

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 2526-2955