A angústia da banalidade, notas sobre Roland Barthes

Pablo Simpson

Resumo


Este ensaio pretende esboçar uma breve perspectiva teórica da obra de Roland Barthes, investigando noções como estilo, escrita e retórica, a partir de uma confrontação com o que chamou de “angústia da banalidade”, conforme está presente em Essais critiques (1964). Ela permite situar o lugar da literatura em sua obra tanto quanto compreender algumas de suas escolhas teórico-literárias.

Palavras-chave


Roland Barthes; Crítica literária; Intertextualidade;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 2526-2955