Voltar aos Detalhes do Artigo A categoria “Mulher” como dispositivo biopolítico de educação do corpo