O que é uma tradução "relevante"?

Jacques Derrida, Olívia Niemeyer Santos

Resumo


A palavra "relevante" transita por várias línguas e exibe, na sua multiplicidade, a impureza do limite e a insuficiência angustiante da tradução. O mercador de Veneza serve de pano de fundo para analisar a necessidade e a impossibilidade da tradução, a dívida inflexível e impagável, ou seja, o contrato insustentável que constitui tanto o enredo do drama de Shakespeare quanto o compromisso do tradutor, Portia, travestida/traduzida em advogado, pede a Shylock que a dívida seja perdoada simplesmente pelo fato de ser reconhecida, uma história que oscila entre juramento e perjuro, perdão e culpa, signo e carne, religiões - entre conversões, portanto. A afinidade entre o drama e o ato tradutório leva à indagação se um discurso relevante sobre tradução seria um discurso sobre o perdão, sobre os benefícios da graça que abençoa tanto o que concede quanto o que recebe. O perdão reieva a justiça, diz Portia. Toda tradução, por vocação "relevante", ao mesmo tempo reforça, eleva e redime o original por uma operação que transforma e guarda ainda o luto pela origem, tarefa possível/impossível imposta ao tradutor.


Palavras-chave


Relevante; tradução; dívida; Shylock; perdão;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1981-5794