FRATURA CULTURAL: AMÉLIA, DE ANA CAROLINA

Leonardo Francisco Soares

Resumo


Este artigo examina os processos específicos de construção de identidades no contexto latino-americano. Através do estudo de algumas imagens presentes na narrativa fílmica Amélia (2000), de Ana Carolina, que encena as tensões do encontro entre “Nós e o Outro”, investiga-se o modo como a ficção contemporânea problematiza os processos de identificação coletiva possíveis. Articula-se, ainda, o tema da identidade nacional com as concepções de língua, espaço, tradição e história.

Palavras-chave


Contemporary Narrative; Cinema; National Identity; Ana Carolina.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21709/casa.v10i2.5583



E-ISSN: 1679-3404