REDE ISOTÓPICA EM AMARELO MANGA DE CLÁUDIO ASSIS

Cléber Luís Dungue, Tieko Yamaguchi Miyazaki

Resumo


Amarelo manga (2003), longa-metragem de Claudio Assis, é marcado, em sua construção, pela circularidade da narrativa e pela fragmentação. Percebemos, no filme, várias histórias descontínuas que se intercomunicam, em princípio, pelo leitmotif da cor amarela intensa, a mesma que encontramos na manga madura. As personagens problemáticas e com características estranhas se cruzam em um bairro periférico da cidade de Recife, espaço onde várias delas têm a sua história amorosa marcada pelas figuras da manga e da carne, cuja repetição permite pensar o texto fílmico como linhas isotópicas que se interconectam, formando assim uma rede de significações.


Palavras-chave


Figura; Amarelo; Manga; Carne; Isotopia; Rede.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21709/casa.v10i2.5584



E-ISSN: 1679-3404