METALINGUAGEM SEMIÓTICA: EMPRÉSTIMOS E REDEFINIÇÕES

Jean Cristtus Portela

Resumo


Este trabalho discute o problema da terminologia e da conceitualização na construção da metalinguagem semiótica. O ponto de partida para essa discussão é o ideário científico de pensadores como C. S. Peirce, R. Bastide e É. Benveniste, que entendem que a criação de uma nova ciência tem como exigência a elaboração de uma nova e precisa terminologia. Essa posição é relativizada e ampliada pela visão de A. J. Greimas, que defende a centralidade da conceitualização, em detrimento da formalização e da produção terminológica. Por fim, propõem-se e analisam-se dois tipos de elaboração metalinguística baseados no diálogo com teorias e disciplinas precedentes: o empréstimo e a redefinição.


Palavras-chave


Metalinguagem; Semiótica; Terminologia; Conceito; Termo; Algirdas Julien Greimas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21709/casa.v10i2.5598



E-ISSN: 1679-3404