O JOGO DE INTERMEDIAÇÕES ENUNCIATIVAS NO ROMANCE DE ALAN PAULS

Maria de Lourdes Ortiz Gandini Baldan

Resumo


O romance O passado (2003) de Alan Pauls apresenta muitas isotopias que mereceriam ser investigadas: há uma construção variada de relacionamentos amorosos entre os personagens com sentimentos diferentes, que permitiriam um mapeamento de paixões a serem estudadas; há uma atividade de tradução (ofício desempenhado por Rimini e Carmen) que engendra contornos muito ricos na reflexão sobre a atividade literária que está se realizando. E há a presença de Jeremy Riltse, artista plástico criado por esse discurso, com uma poética completa. Um trabalho com a dimensão que este pretende ter, não conseguiria tratar de todas elas. Ficamos apenas com a última, ou seja, verificar como o artista plástico ficcional e sua obra singular funcionam no romance.


Palavras-chave


Enunciação; Narrativa Contemporânea; Literatura e outras Artes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21709/casa.v10i2.5600



E-ISSN: 1679-3404