Atores, ações e dominação cultural na construção da indústria de capital de risco no Brasil

Autores

  • Martin Mundo Neto FATEC-Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga. Taquaritinga-SP
  • Patricia Saltorato UFSCar-Universidade Federal de São Carlos. Campus Sorocaba. Sorocaba-SP

DOI:

https://doi.org/10.52780/res.10259

Palavras-chave:

Financeirização, Fundos de investimentos, Capital de risco, Sociologia econômica,

Resumo

Este artigo aborda a indústria brasileira de capital de risco a partir da trajetória dos agentes que contribuíram para seu desenvolvimento. O Estado desempenhou um papel importante na regulamentação dessa indústria, notadamente a partir da criação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e da BNDESPar, subsidiária do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O artigo conclui que, apesar da legitimidade desta indústria estar ligada ao financiamento da inovação tecnológica pelas firmas gestoras que atuam junto ao segmento venture capital, aqueles que dominam culturalmente a indústria, preferem investir no segmento private equity, onde o retorno sobre o investimento é significativamente maior e o risco, menor. Como resultado, os dados extraídos da CVM, indicam que, o financiamento via venture capital, onde a incerteza e os riscos são mais elevados, recaem principalmente sobre as agências governamentais, reproduzindo a dominação cultural predominante na indústria mundial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Martin Mundo Neto, FATEC-Faculdade de Tecnologia de Taquaritinga. Taquaritinga-SP

Doutorado em Engenharia de Produção - UFSCAR (Área: Teoria das Organizações)

Docente do curso Tecnologia Agroindustrial (FATEQ-Taquaritinga)

Mestrado em Engenharia de Produção (UFSCAR-São Carlos)

Bacharelado em Ciência da Computação (USP-São Carlos)

Patricia Saltorato, UFSCar-Universidade Federal de São Carlos. Campus Sorocaba. Sorocaba-SP

Doutorado em Engenharia de Produção - UFSCAR (Área: Teoria das Organizações)

Docente do Departamento de Engenharia de Produção (UFSCAR-Sorocaba)

Docente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (UFSCAR-Sorocaba): Área: Organizações e Trabalho

Mestrado em Engenharia de Produção (USP-São Carlos / Orientação: João Mocellin)

Bacharelado em Engenharia Civil (UNESP-Guaratinguetá)

Downloads

Publicado

15/02/2018

Como Citar

MUNDO NETO, M.; SALTORATO, P. Atores, ações e dominação cultural na construção da indústria de capital de risco no Brasil. Estudos de Sociologia, Araraquara, v. 22, n. 43, 2018. DOI: 10.52780/res.10259. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/estudos/article/view/10259. Acesso em: 14 abr. 2024.