A configuração do mercado das folhas na Pedra em Salvador

Orlando José Ribeiro de Oliveira

Resumo


Este artigo analisa a configuração do mercado das plantas rituais/medicinais (folhas) usadas no candomblé de Salvador-BA, considerando a circulação dessas mercadorias produzidas e comercializadas por extrativistas e horticultores que as levam, regularmente, à Feira de São Joaquim, polo distribuidor para outros circuitos do comércio retalhista (feiras, mercados, lojas e bancas de rua). O Mercado da Pedra, uma transação mercantil de grandes quantidades que transcorre na madrugada, foi a base empírica da pesquisa etnográfica que possibilitou a compreensão das estruturas e dos agentes sociais envolvidos na produção, circulação e consumo das folhas que podem resultar de extrativismo ou de horticultura, provindo de hortas e quintais e de manchas florestais remanescentes no entorno de Salvador e interior da Bahia. A singularidade desse mercado revela-se, dentre outros fatores, pela justaposição das esferas da circulação (simples e desenvolvida, segundo Marx) que, de forma dinâmica, articulam um mercado tradicional (africano) ao mercado capitalista contemporâneo.

Palavras-chave


Plantas rituais/medicinais; Mercado; Religiões afrobrasileiras;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1982-4718
ISSN: 1414-0144

Licença Creative Commons
Revista Estudos de Sociologia by Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Proibição de realização de Obras Derivadas 3.0 Unported License.