Modernidade dessincronizada: aceleração social, destemporalização e alienação: uma entrevista com Hartmut Rosa

Autores

  • João Lucas Faco Tziminadis UNESP - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Araraquara – SP

DOI:

https://doi.org/10.52780/res.10462

Palavras-chave:

Hartmut Rosa, Aceleração Social, Alienação, Teoria Crítica,

Resumo

A presente entrevista traz como seu escopo uma apresentação da experiência social e das principais categorias analíticas que compõem a teoria da aceleração social de Hartmut Rosa. De início, as questões conduzem o autor a uma recapitulação dos motivos que o levaram a desenvolver seu interesse pelo problema do tempo na modernidade hodierna, bem como da trajetória intelectual que o guiou a tal interesse. São expostas as consequências daquilo que Rosa diagnostica como uma sociedade de aceleração dessincronizada e destemporalizada, e, com elas, uma nova interpretação do fenômeno da alienação. Reivindicando-se como um herdeiro da teoria crítica da sociedade, Rosa também indica os traços gerais do referencial normativo de seu modelo crítico, examinando as máximas temporais que perfazem o ideal moderno de boa vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

15/02/2018

Como Citar

Tziminadis, J. L. F. (2018). Modernidade dessincronizada: aceleração social, destemporalização e alienação: uma entrevista com Hartmut Rosa. Estudos De Sociologia, 22(43). https://doi.org/10.52780/res.10462