Gramsci entre Maquiavel e Marx: da negatividade do homem a ontonegatividade da política

Claudinei Cássio Rezende

Resumo


Em uma de suas categorias centrais, Gramsci estabelece uma identidade direta entre as politicidades maquiaveliana e marxiana, de sorte que cada um escreve para a classe da vanguarda política de sua época. No entanto, uma crítica mais rigorosa aos escritos marxianos nos revela que o proletariado não é somente a classe progressista de sua época, da maneira que a burguesia fora no iluminismo, como quer Gramsci, mas é, em verdade, a esfera universal e a única capaz de levar a cabo uma emancipação humana total. Doravante, a identidade entre Marx e Maquiavel inexiste na medida em que o primeiro, de magnitude filosófica distinta, concebe o trabalho ontologicamente como atributo central da humanização, apreendendo a política como uma figura transitória superável, enquanto o segundo concebe a política como o ato fundador de toda sociabilidade.


Palavras-chave


Maquiavel; Marx; Gramsci; Ontonegatividade da política; Emancipação humana;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1982-4718
ISSN: 1414-0144

Licença Creative Commons
Revista Estudos de Sociologia by Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Proibição de realização de Obras Derivadas 3.0 Unported License.