As ciências sociais: entre a avaliação e a relevância

Autores

Palavras-chave:

Ciências sociais, Autonomia, Sistema de avaliação, Cientometria,

Resumo

O sistema de avaliação de pós-graduação garantiu que as pesquisas científicas nas universidades públicas brasileiras se mantivessem resistentes às ameaças que frequentemente sofrem. Contudo, quanto mais hegemônico se tornou esse sistema, mais os pesquisadores transformaram suas regras na própria noção de relevância científica, esvaziando a capacidade das ciências sociais influenciarem outros campos do saber. Neste artigo analiso esse processo e busco notar como ele leva, paradoxalmente, à perda da autonomia do campo das ciências sociais em função da importância que assumem a mídia e o clamor por pesquisas mais utilitárias. Concluirei defendendo a autonomia do campo das ciências sociais e da universidade pública, mas por outros meios, que recoloquem suas capacidades em atuarem no mundo, deformando os campos da ordem.

Biografia do Autor

Michel Nicolau Netto, UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Campinas – SP – Brasil. 13081-970

Professor do Departamento Sociologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH/Unicamp) e coordenador geral de Pós-Graduação do IFCH/Unicamp. Doutor em Sociologia pela Unicamp, com estágio de doutorado na Humboldt Universität de Berlim, tem pós-doutorado em Sociologia pela Unicamp. Foi visiting scholarno ILAS/Columbia University, nos EUA, e foi visiting fellow, na London School of Economics and Political Science, Inglaterra. É membro do Grupo de Estudos de Práticas Culturais Contemporâneas – GEPRACC, PUC-SP, e líder do Grupo de Estudos em Pierre Bourdieu – GEBU, Unicamp. É autor dos livros Música Brasileira e Identidade Nacional na Mundialização (2009) e O Discurso da Diversidade e a World Music (2014).

Downloads

Publicado

29/07/2019