José de Alencar: Insights sobre a acomodação tensa entre tradição e modernidade no Brasil

Autores

Palavras-chave:

Jose de Alencar, Patrimonialismo, Modelo burocráticocapitalista, Acomodação

Resumo

O presente trabalho analisa a acomodação eivada de tensões entre o fenômeno patrimonialista e o modelo burocrático-capitalista no final do século XIX no Brasil a partir de insights contidos na obra Senhora (1875) de José de Alencar. Em um primeiro momento, o artigo analisa as interpretações do Brasil sob a ótica weberiana para, em seguida, discutir o processo de acomodação entre tradição e modernidade no contexto histórico do Império brasileiro contidos nessa obra do romancista. A hipótese que norteia o texto assenta-se na ideia de que o patrimonialismo, presente no Brasil desde o período colonial, atingiu o ápice de sua influência e um elaborado processo de acomodação com a ordem racional-legal durante o Império. José de Alencar retrataria nos personagens e no enredo da referida obra os elementos dessa acomodação e sua oposição ao avanço da ordem burguesa sobre a ordem patrimonialista.

Biografia do Autor

Márcio Luiz do Nascimento, UEMG - Universidade do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte - MG

Doutorado em Filosofia pela Universidade Compltense de Madri (título revalidade pela UFJF).

Mestrado em Sociologia pela UFMG.

Especialização em História do Brasil pela PUCMINAS.

Graduação em História pela FAFI-BH e Comunicação Social pela UFMG.

Gestor da Universidade Estadual de Minas Gerais

Renato Somberg Pfeffer, FJP - Fundação João Pinheiro de Minas Gerais. Diretoria de Políticas Públicas. Belo Horizonte - MG

Doutor em Filosofia pela Universidade Complutense de Madri (título revalidado pela UFJF). Mestre em Sociologia pela UFMG. Professor titular do Ibmec-MG. Pesquisador da Fundação João Pinheiro - MG.

Carolina Portugal Gonçalves da Motta, FJP - Fundação João Pinheiro de Minas Gerais. Escola de Governo. Belo Horizonte - MG

Doutorado em Planejamento Urbano e Regional pela UFRJ.

Mestrado em Democgrafia pela UFMG.

Graduação em Ciências Econômicas pela UFMG.

Pesquisadora da Fundação João Pinheiro de Minas Gerais.

Ana Luísa Gomes de Araújo, FJP - Fundação João Pinheiro de Minas Gerais. Escola de Governo. Belo Horizonte - MG

Mestrado em Direito Administrativo pela UFMG.

Especialização em Direito Público pela Pucminas.

Graduação em Direito pela Faculdade Milton Campos e em Adminsitração Pública pela FJP.

Gestora da da Fundação João Pinheiro de Minas Gerais.

Downloads

Publicado

05/01/2021