Mídias sociais digitais, participação política e protestos anticorrupção

Autores

  • Wilson José Ferreira de Oliveira UFS – Universidade Federal de Sergipe – Programa de Pós-Graduação em Sociologia. São Cristóvão – SE – Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8105-8885

DOI:

https://doi.org/10.52780/res.14759

Palavras-chave:

Mídias sociais digitais, Participação política, Protesto anticorrupção

Resumo

A utilização de mídias sociais digitais como instrumento para o recrutamento e a participação em eventos de protesto tem sido considerada pela literatura internacional como um dos principais ingredientes da transformação nas condições e dinâmicas de participação política nos últimos anos. No Brasil, os “protestos de junho” em 2013 evidenciaram a intensificação do uso da internet e das redes sociais no recrutamento e mobilização política. Este artigo pretende demonstrar que, o uso de tais ferramentas nos protestos anticorrupção no Brasil, a partir da onda de protestos iniciada internacionalmente em 2011, expressou o enfrentamento a um sistema político que monopolizava e represava insatisfações e demandas por transformação. Ele se tornou aos poucos um dos principais veículos de aglutinação, manifestação e ação de organizações, grupos e lideranças liberais, conservadores e de direita em torno de uma agenda comum. Esta análise mostra a relevância da dimensão política para compreender o processo de utilização das mídias sociais digitais na dinâmica da participação política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

21/05/2021

Como Citar

Oliveira, W. J. F. de. (2021). Mídias sociais digitais, participação política e protestos anticorrupção. Estudos De Sociologia, 26(50). https://doi.org/10.52780/res.14759