Antipartidarismo entre as juventudes no Brasil, Chile e Colômbia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52780/res.14764

Palavras-chave:

Antipartidarismo, Juventude, Democracia, América Latina

Resumo

A presente pesquisa faz uma análise comparativa sobre as formas as quais os sentimentos antipartidários se manifestam nas juventudes do Brasil, Chile e Colômbia, países que tiveram grandes protestos com participação dos jovens desde 2011. A percepção desses jovens sobre os partidos políticos foi analisada a partir do banco de dados do Projeto de Opinião Pública da América Latina (Lapop), considerando as ondas de 2006, 2008, 2010, 2012, 2014, 20016 e 2018, com ênfase nos anos de 2010, 2014 e 2018 – períodos marcados por ciclos de protestos nos países selecionados. A classificação dos jovens antipartidários foi feita com base nas variáveis simpatia e confiança pelos partidos políticos. Para entender as percepções dos jovens antipartidários, analisamos o quanto eles apoiam a democracia e se interessam por política. Os resultados demonstram que o antipartidarismo na juventude se manifesta a partir do antipartidarismo reativo relacionado também aos aspectos socioculturais e contextuais.

Biografia do Autor

Olívia Cristina Perez, UFPI - Universidade Federal do Piauí. Programa de Pós-Graduação em Ciência Política. Teresina – PI – Brasil

Doutora em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (FFLCH/USP), com estágio pós-doutoral no Programa de Investigación en Ciencias Sociales, Niñez y Juventud (Cinde/Clacso). Professora Adjunta na Universidade Federal do Piauí (UFPI), vinculada aos cursos de bacharelado e mestrado em Ciência Política e ao programa de pós-graduação (mestrado e doutorado) em Políticas Públicas. Líder do grupo de pesquisa “Democracia e Marcadores Sociais da Diferença”

Downloads

Publicado

21/05/2021