Mais “Reino”, menos “religiosidade”

um novo paradigma para as juventudes evangélicas no espaço público?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52780/res.14904

Palavras-chave:

Cultura do Reino, Religiosidade, Juventudes evangélicas, Religião e espaço público, Sagrado e secular

Resumo

Este texto discute a presença, entre juventudes evangélicas de Porto Alegre-RS, de um ideário eclesiológico conhecido como “cultura do Reino”, que se contrapõe ao que jovens participantes de diferentes denominações consideram um modelo negativo de “religiosidade”. Enfatiza-se como a noção de “Reino” constitui o ponto de partida de uma mudança de paradigma nas relações evangélicas juvenis com a cultura e o secular. Demonstra-se que o “Reino” impõe novos desafios teóricos às investigações sobre a presença evangélica no espaço público, demandando uma análise que leve em consideração as múltiplas escalas do que se entende nativamente por “Reino”, e que ambicione, simultaneamente, compreender o acionamento da categoria “religiosidade” a partir de um empreendimento descritivo das articulações do conceito. Adicionalmente, ainda se encontram no escopo deste artigo reflexões sobre o caráter geracional do movimento da “cultura do Reino”, buscando entendê-lo como uma manifestação associada a jovens evangélicos que vivem o “espírito do tempo” presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

22/09/2021

Como Citar

Aguiar, T. de . (2021). Mais “Reino”, menos “religiosidade”: um novo paradigma para as juventudes evangélicas no espaço público?. Estudos De Sociologia, 26(51). https://doi.org/10.52780/res.14904