Herbert Marcuse e a defesa da violência revolucionária nos anos 60

Autores

  • Maria Ribeiro do Valle UNESP – Universidade Estadual Paulista/Araraquara - SP

Palavras-chave:

Violência, Razão, Revolução, Socialismo, Imperialismo,

Resumo

Nosso trabalho está centrado no debate sobre a violência “revolucionária”travado por Marcuse, expoente significativo da intelectualidade que vivenciou e pensou os anos 60. Há a retomada, então, das utopias anticapitalistas do século XIX – particularmente a marxista. Marcuse aponta também para a urgência do combate ao imperialismo norte-americano – bandeira de luta carregada pelos movimentos de protesto neste período – argumentando que a violência é inerente ao sistema político-econômico, e que deve ser combatida através da violência “revolucionária” pela oposição.

Downloads

Publicado

23/05/2007

Edição

Seção

Artigos