Práticas e processos de produção do espaço urbano

Descentrando perspectivas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52780/res.v27iesp1.16225

Resumo

Este ensaio, que abre o dossiê “Práticas e processos de produção do espaço urbano: descentrando perspectivas”, toma esse tensionamento como premissa. A perspectiva clássica que apreendeu e analisou a cidade como terreno do progresso civil, do desenvolvimento das potencialidades humanas – ou, então, como palco de reverberação de desconfianças e medos “modernos” –, perdeu de vista uma série de experiências de vida urbana que se acumularam e desenvolveram nas periferias do capitalismo global. Essas experiências são marcadas, de um lado, pelo passado colonial – e, portanto, pelos efeitos do tráfico negreiro transatlântico, da desterritorialização massiva de pessoas, da escravidão, do genocídio e do racismo –, que entrelaça historicamente “Norte-Sul” e “Sul-Sul”; de outro, pelos legados persistentes desse passado, que dificultam que problemas contemporâneos sejam resolvidos – como segregação, desigualdades, falta de infraestrutura, problemas na regulação e gestão urbano-ambiental, etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Amaral de Oliveira, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador – BA – Brasil

Professor do Departamento de Sociologia. Doutor em Sociologia (USP).

Rafael de Aguiar Arantes, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador – BA – Brasil

Professor do Departamento de Sociologia. Doutor em Sociologia (UFBA).

Publicado

25/04/2022

Como Citar

Oliveira, L. A. de, & Arantes, R. de A. (2022). Práticas e processos de produção do espaço urbano: Descentrando perspectivas. Estudos De Sociologia, 27(esp1), e022001. https://doi.org/10.52780/res.v27iesp1.16225