Marcas na trajetória e no presente do católico cristianismo da libertação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52780/res.v28i00.17460

Palavras-chave:

Cristianismo da libertação, Catolicismo, Papa Francisco, Economia de Francisco e Clara

Resumo

O cristianismo da libertação constituiu-se como um fenômeno religioso com desdobramentos políticos relevantes na América Latina, entre as décadas de 1960 e 80, no contexto de regimes militares e processos de reabertura democrática, sendo que este artigo enfoca o caso brasileiro. Abarcando também iniciativas protestantes, ele é fundamentalmente católico, tendo passado por um refluxo devido a posicionamentos dos papas João Paulo II e Bento XVI, assim como o avanço evangélico pentecostal e o crescimento do ideário neoliberal. Em face do pontificado de Francisco fatos novos ocorreram de modo a resgatar aspectos desse catolicismo politizado de esquerda, com destaque para determinada proposição econômica que gerou uma significativa mobilização no Brasil. O artigo, elaborado com base em consulta bibliográfica e pesquisa de campo, aborda essa trajetória do cristianismo da libertação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Ricardo de Souza, Universidade Federal de São Carlos

Departamento de sociologia.

Referências

ALTMANN, W. Lutero e libertação: releitura de Lutero em perspectiva latino-americana. São Paulo: Sinodal, 1994.

BAPTISTA, S. Pentecostais e neopentecostais na política brasileira: um estudo sobre cultura política, Estado e atores coletivos religiosos no Brasil. São Paulo: Instituto Metodista Izabela Hendrix e Annablume, 2009.

BEOZZO, J. O. Cristãos na universidade e na política: história da JUC e da AP. Petrópolis, RJ: Vozes, 1984.

BETIATO, M. A. Papa Francisco: a semântica missionária de uma igreja em saída. Tese de doutorado em teologia. Curitiba: PUCPR, 2018.

BETTO, F. A economia de Francisco. Brasil de Fato, 19 ago. 2019. Disponível em: https://www.brasildefators.com.br/2019/08/19/artigo-or-a-economia-de-francisco. Acesso em: 20 maio 2020.

BINGEMER, M. C. L. Dom Oscar Romero: mártir da libertação. Rio de Janeiro/São Paulo: PUC-Rio/Santuário, 2012.

BOFF, L. Igreja, carisma e poder: ensaios de eclesiologia militante. Rio de Janeiro: Vozes, 1981.

BRANDÃO, C. R. A questão política da educação popular. São Paulo: Brasiliense, 1980.

BRUNI, L. Entrevista: “Vou falar sobre a economia segundo Francisco”. IHU Online, 15 set. 2020. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/602846-vou-falar-sobre-a-economia-segundo-francisco-entrevista-com-luigino-bruni. Acesso em: 12 fev. 2021.

CABESTRERO, T. Ministros de Deus, ministros do povo: testemunho de três sacerdotes no governo revolucionário da Nicarágua: Ernesto Cardenal, Miguel d’Escoto, Fernando Cardenal. Petrópolis, RJ: Vozes, 1983.

CARRANZA, B. Catolicismo midiático. Aparecida: Idéias & Letras, 2011.

CARRANZA, B.; MARIZ, C.; CAMURÇA, M. (org.). Novas comunidades católicas: em busca do espaço pós-moderno. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2009.

CARVALHO, R. (org.). O cardeal da resistência: as muitas vidas de Dom Paulo Evaristo Arns. São Paulo: Instituto Vladmir Herzog, 2013.

COELHO, A. S. Entre acusações e perplexidades: o anticapitalismo e o papa Francisco. Caminhos, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 63-81, 2018.

DALAI, D.; DANTAS, G. A renúncia do papa Bento XVI e a profunda crise da Igreja Católica. Brasília: Centelha Cultural, 2012.

DELLA CAVA, R. A ofensiva vaticana. Religião e Sociedade, [S. l.], v. 12, n. 3, p. 38-83, 1985.

DOIMO, A. M. A vez e a voz do popular: movimentos sociais e participação política no Brasil pós-70. Rio de Janeiro: Relume Dumará e ANPOCS, 1993.

ESCURRA, A. M. O Vaticano e o Governo Reagan: convergências na América Central. São Paulo: Hucitec, 1984.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

FRESTON, P. Protestantes e políticas no Brasil: da Constituinte ao impeachment. 1993. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1993.

GOTAY, S. S. O pensamento cristão revolucionário na América Latina e no Caribe. São Paulo: Paulinas, 1989.

LACERDA, L. Uma análise da polêmica em torno do livro Igreja, carisma e poder na Arquidiocese do Rio de Janeiro. 2009. Dissertação (Mestrado em História) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

LIBÂNIO, J. B. A volta à grande disciplina. São Paulo: Loyola, 1983.

LÖWY, M.; GARCÍA-RUIZ, J. Les sources françaises du christianimse de la libération au Brésil. Archives de Sciences Sociales des Religions, [S. l.], p. 9-32, 1997.

LÖWY, M. A guerra dos deuses: religião e política na América Latina. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

LÖWY, M. O que é cristianismo da libertação? Religião e política na América Latina. São Paulo: Perseu Abramo e Expressão Popular, 2016.

LÖWY, M. Considerações sobre o Papa Francisco. A Terra Redonda, 1 mar. 2020. Disponível em: https://aterraeredonda.com.br/consideracoes-sobre-o-papa-francisco/. Acesso em: 15 mar. 2021.

GUTIÉREZ, G. Teologia da libertação: perspectivas. São Paulo: Loyola, 1983.

HUMMES, C. O sínodo para a Amazônia. São Paulo: Paulus, 2019.

MACEDO, C. C. Tempo de gênesis. São Paulo: Brasiliense, 1986.

MAINWARING, S. O surgimento da igreja popular, 1964-1973. São Paulo: Brasiliense, 1989.

MARIANO, R. Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 1999.

MENEZES NETO, A. J. A Igreja Católica e os movimentos sociais do campo: a Teologia da Libertação e o Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra. Cadernos CRH, [S. l.], v. 20, n. 50, p. 331-342, 2007.

MESTERS, C. Bíblia: lirvro da aliança (Êxodo 19-24). São Paulo, Paulina, 1986.

NAKANO, M.; ROIMAN, A. (org.). Estreitando nós: lembranças de um: lembranças de um semeador de utopias. Rio de Janeiro: Garamond, 2001.

NEVES, J. C. A economia de Francisco: diagnósticos de um equívoco. Cascais: Principia, 2016.

ORO, A. P. Avanço pentecostal e reação católica. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.

OLIVEIRA, P. A. R. Economia de Francisco e Clara para quê? Iser Assessoria, 18 set. 2020. Disponível em: https://iserassessoria.org.br/pedro-a-ribeiro-de-oliveira-economia-de-francisco-e-clara-para-que/. Acesso em: 20 out. 2020.

PAIVA, V. Igreja e questão agrária. São Paulo: Loyola, 1985.

PASSOS, J. D. A teologia de Puebla: lutas, ambiguidades e continuidades. Horizonte, [S. l.], v. 17, n. 54, p. 1386-1407, 2019.

PIERUCCI, A. F. Representantes de Deus em Brasília: a bancada evangélica na Constituinte. Ciências Sociais Hoje, 1989. Vértice - Revista dos Tribunais, [S. l.], p. 104-132, 1989.

PIQUÉ, E. Papa Francisco: vida e revolução. São Paulo: Leya, 2014.

PRANDI, R. Um sopro do Espírito: a renovação conservadora do catolicismo carismático. São Paulo: EDUSP e FAPESP, 1997.

PRANDI, R.; SANTOS, R. W. Mudança religiosa na sociedade secularizada: o Brasil 50 anos após o Concílio Vaticano II. Contemporânea - Revista de Sociologia da UFSCar, [S. l.], v. 5, p. 351-379, 2015.

PRANDI, R.; SOUZA, A. R. A carismática despolitização da Igreja Católica. In: PIERUCCI, A. F.; PRANDI, R. A realidade social das religiões no Brasil. São Paulo: Hucitec, 1996.

PY, F.; PEDLOWSKI, M. A. Atuação de religiosos luteranos nos movimentos sociais rurais no Brasil (1975-1985). Tempo, v. 24, p. 233-252, 2018.

RODRIGUES, I. J. Igreja e Movimento Operário Nas Origens do Novo Sindicalismo no Brasil (1964-1978). História: Questões e Debates, Curitiba, v. 28, p. 25-28, 1988.

SCANNONE, J. C. A teologia do povo: raízes teológicas do Papa Francisco. São Paulo: Paulinas, 2019.

SCHERER-WARREM, I. Redescobrindo a nossa dignidade: uma avaliação da libertação na América Latina. Religião e Sociedade, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 162-177, 1990.

SECCO, L. História do PT. São Paulo: Ateliê, 2011.

SERBIN, K. Diálogos nas sombra: bispos e militares, tortura e justiça. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SILVEIRA, E. J. S.; PY, F.; REIS, M. V. F. O Sínodo da Amazônia e os dilemas do catolicismo. Revista Pistis & Práxis: Teologia e Pastoral, [S. l.], v. 11, p. 669-691, 2019.

SOUZA, A. R. Igreja in concert: padres cantores, mídia e marketing. São Paulo: Annablume e FAPESP, 2005.

SOUZA, A. R. Os laços entre igreja, governo e economia solidária. São Carlos, SP: EDUFSCar e FAPESP, 2013.

SOUZA, A. R. Pilares da Economia de Francisco e Clara e o enfrentamento da profunda crise. Contemporânea - Revista de Sociologia da UFSCar, [S. l.], v. 10, n. 1, p. 367-377, 2020.

SOUZA, A. R.; BATISTA, B. M. Os efeitos políticos no Brasil dos sete anos iniciais do papa Francisco. Revista Brasileira de História das Religiões, [S. l.], Ano XIII, n. 39, p. 189-206, 2021.

SOUZA, L. A. G. A JUC, os estudantes e a política. Petrópolis, RJ: Vozes, 1984.

SOUZA, N. Ação católica: militância leiga no Brasil: méritos e limites. Revista de Cultura Teológica, [S. l.], v. 15, n. 55, p. 39-59, abr./jun. 2006.

SUPLICY, E. M. Renda básica de cidadania: a saída é pela porta. São Paulo, Cortez e Fundação Perseu Abramo, 2013.

SYLVESTRE, J. Irmão vota em irmão: os evangélicos, a Constituinte e a Bíblia. Brasília, DF: Pergaminho. 1986.

TAMAYO, J.-J. Medellín: del cristianismo colonial al cristianismo liberador. REVER, [S. l.], v. 18, n. 2, p. 13-34, 2018.

TEIXEIRA, F. A gênese das CEBs no Brasil: elementos explicativos. São Paulo: Paulinas, 1988.

WANDERLEY, L. E. Educar para transformar: educação popular, Igreja Católica e política no Movimento de Educação de Base. Petrópolis, RJ: Vozes, 1984.

WANDERLEY, L. E. Democracia e igreja popular. São Paulo: EDUC, 2007.

Publicado

29/12/2023

Como Citar

SOUZA, A. R. de. Marcas na trajetória e no presente do católico cristianismo da libertação. Estudos de Sociologia, Araraquara, v. 28, n. 00, p. e023019, 2023. DOI: 10.52780/res.v28i00.17460. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/estudos/article/view/17460. Acesso em: 12 jul. 2024.