Como fazer uma sociologia da singularidade? Autoria e campo literário

Andréa Borges Leão

Resumo


Se o ponto de partida de uma sociologia do estatuto do criador em literatura é o funcionamento social das obras e das condições de sua produção em um espaço de posicionamentos específi cos, o percurso da análise deve acompanhar a lógica dos valores que fundamenta o trabalho de criação. A moderna atividade literária não escapa às tensões entre a afirrmação dos valores associados à singularidade do indivíduo e as regras coletivas que confi guram e orientam as relações no mundo literário, a exemplo dos poderes de consagração e reconhecimento. Daí os embates entre as formas de comportamento individual e a organização das instituições sociais que regulam o trabalho literário. O objetivo deste artigo é situar o escritor, enquanto sujeito historicamente submetido a um “regime de singularidade”, face à estrutura do campo literário. Para tanto, estabelece um possível diálogo entre a abordagem compreensiva da socióloga Nathalie Heinich e a ciência das obras elaborada por Pierre Bourdieu.

Palavras-chave


Campo literário; Singularidade; Autoria literária; Direito do autor; Instituições literárias

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1982-4718
ISSN: 1414-0144

Licença Creative Commons
Revista Estudos de Sociologia by Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Proibição de realização de Obras Derivadas 3.0 Unported License.