Intervenção e participação pública em ciência e tecnologia: o caso das nanotecnologias

António Carvalho, João Arriscado Nunes

Resumo


Este artigo analisa a constituição de preocupações éticas e sociais com nanotecnologias. Partindo do pressuposto de que os dispositivos de participação pública são performativos, uma equipa de pesquisa em Coimbra, Portugal, reconheceu a dimensão política das ciências sociais e transformou os tradicionais grupos de discussão através da introdução de duas inovações metodológicas: o Teatro do Oprimido e a Pedagogia do Oprimido. Os participantes, ao invés de se limitarem a uma mera enunciação de considerações abstratas sobre as nanotecnologias, mediaram as suas visões através das suas experiências e situações sociais e apresentaram-nas sob a forma de performances teatrais. O objetivo deste artigo é refletir acerca do papel dos pesquisadores, dos materiais utilizados e do desenho dos grupos de discussão na constituição de sujeitos participativos, elaborando acerca das associações entre agenciamentos participativos, subjetividades e política.

Palavras-chave


Nanotecnologias; Grupos de discussão; Performatividade; Metodologias;

Texto completo:

PDF


E-ISSN: 1982-4718
ISSN: 1414-0144

Licença Creative Commons
Revista Estudos de Sociologia by Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Proibição de realização de Obras Derivadas 3.0 Unported License.