Conselheiros Tutelares na linha de frente da prevenção do abuso sexual

Autores

  • Augusto Caccia-Bava UNESP - Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - Departamento de Sociologia. Araraquara – SP - Brasil
  • Eulália Fabiano UNESP - Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara – Pós-graduação em Ciências Sociais. Araraquara – SP - Brasil

Palavras-chave:

Violência sexual, Agentes públicos, Prevenção,

Resumo

Violência sexual de meninas menores de dezoito anos, sob a forma de abuso sexual, vem sendo identificada por agentes públicos como um fenômeno endêmico nas cidades do Estado de São Paulo. Dentre esses agentes destacam-se conselheiros tutelares que revelam a dimensão do seu trabalho no contexto dos Sistemas Único de Saúde, de Assistência Social e de Segurança Pública, para isso dialogando de forma implícita com seus agentes locais. No entanto, prevenir o abuso sexual e a exploração constitui-se no seu maior e mais frequente desafio, em todos eles. O presente ensaio abre, assim, uma discussão sobre a urgência de se projetarem redes sociais de prevenção de violência sexual, com participação de diversos segmentos da sociedade, mormente de cientistas e estudantes universitários. Ele é baseado numa pesquisa realizada junto a esses e outros agentes públicos, no período de 2011 a 2013, em cinco cidades de São Paulo, com mais de 200 mil habitantes.

Biografia do Autor

Augusto Caccia-Bava, UNESP - Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - Departamento de Sociologia. Araraquara – SP - Brasil

Professor Assistente Doutor, Departamento de Sociologia Área: Estudos de Juventude e Segurança Urbana

Eulália Fabiano, UNESP - Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara – Pós-graduação em Ciências Sociais. Araraquara – SP - Brasil

Doutoranda em Ciências Sociais pelo Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais FCLar, UNESP.

Downloads

Publicado

05/09/2014