Grande performatividade e economia comportamental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32760/1984-1736/REDD/2019.v11i2.13853

Palavras-chave:

Sociologia Econômica, Economia Comportamental, Performatividade

Resumo

O artigo tem como principal objetivo destacar o caráter perfomativo da abordagem da economia comportamental, que vem ganhando espaço na teoria econômica, ao chamar atenção para o caráter coletivo presentes em arranjos sociais complexos, das decisões econômicas. A partir dos autores da sociologia econômica, tais como Simiand (1934), Bourdieu (2012), Garcia-Parpet (2003), Lebaron (2001), e em especial Philippe Steiner (2016), nos propomos a objetivar a chamada “nova abordagem econômica” da economia comportamental, principalmente as reflexões presentes em “Nudge” (SUNSTEIN; THALER, 2008). Pretendemos demonstrar que o aporte teórico da Sociologia e Antropologia Econômica podem colaborar com essa discussão, pois muitas das ditas novidades que a economia comportamental trás, são historicamente discutidos por Sociólogos da Economia. Dividido em duas partes, iniciamos o debate apresentando as contribuições mais recentes da chamada economia comportamental, para em seguida, na segunda parte, abordarmos as contribuições da sociologia econômica e a performatividade presente nessa vertente teórica da economia

Biografia do Autor

Gabriela Lanza Porcionato, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, São Paulo

Doutorando no Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais pela Unesp/Araraquara. Mestre (2016) e Graduado (2014) em Ciências Sociais pela mesma instituição.

 

Lucas Vasques, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, São Paulo

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da UNESP/FCLar. Pesquisador-bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) atuante no Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre Sociedade, Emoções, Poder, Organização e Mercado (NESPOM/UNESP).

Downloads

Publicado

01/08/2021

Edição

Seção

Dossiê