POLÍTICA DO SIMBÓLICO E MERCADOS: CONSIDERAÇÕES A PARTIR DO CASO QUILOMBOLA.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32760/1984-1736/REDD/2020.v12i1.14102

Palavras-chave:

quilombos, sociologia econômica, sociologia da cultura.

Resumo

Esse artigo traz uma discussão sobre a política quilombola sob a ângulo dos processos de formação de novos sujeitos econômicos. Para tanto, discute-se primeiramente o tipo de descolamento entre registros normativos envolvido na própria concepção da política de reconhecimento e demarcação de territórios quilombolas. Em segundo lugar, descreve-se o que será chamado de circuito de produção da política quilombola, que envolve o Estado, a sociedade civil e sistemas peritos. Finalmente, discute-se a articulação entre etnicidade e mercados e a correlata conversão de marcadores étnicos em “marca”.

Biografia do Autor

Emerson Ferreira Rocha, UnB

Professor Adjunto de Sociologia pela UnB.

Membro do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UnB.

Publicado

20/09/2020