O estado e a ação política entre o “animal político”, o “príncipe” e o “homem autêntico

Da ética intelectualista à ética consequencialista e a correlação entre a “ética das últimas finalidades” e a “ética da responsabilidade”

Autores

Palavras-chave:

Ética; Platão; Aristóteles; Maquiavel; Max Weber.

Resumo

Baseado na investigação do Estado e da ação política entre o “animal político” de Aristóteles, o “Príncipe” de Maquiavel e o “homem autêntico” de Max Weber, o artigo mostra que, se o intelectualismo socrático-platônico reduz o bem moral às fronteiras de um dado de conhecimento em uma construção que torna o conhecimento do bem e da justiça a condição para a ação justa, a definição aristotélica do ser humano como um "animal político" implica que a sua realização guarda correspondência com a comunidade política, haja vista que caracteriza a virtude como um habitus enquanto uma disposição adquirida para o desenvolvimento de uma boa conduta que tende a um fim superior, à perfeição. Dessa forma, sobrepondo-se à ética intelectualista, o artigo assinala que Maquiavel estabeleceistória, Hi a correlação envolvendo virtus e fortuna no utilitarismo da moral imanente da política enquanto ciência empírica, fundamentando a moralidade na prática política em um movimento que converge para as fronteiras da ética consequencialista. Finalizando, estabelecendo a distinção entre a “ética das últimas finalidades”, que implica uma conduta baseada em uma moral incondicional, e a “ética da responsabilidade”, que submete à avaliação os meios dispostos e as suas possibilidades de aplicação, Weber sublinha a condição de suplementaridade envolvendo ambas em uma construção que, dessa forma, converge para o desenvolvimento do “homem autêntico”.

Biografia do Autor

Luiz Carlos Mariano da Rosa, "Universidade Cândido Mendes (UCAM - RJ)"

Licenciado em Filosofia pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais [CEUCLAR/SP] e Bacharel em Teologia pela Universidade Estácio de Sá [UNESA/RJ], Especialista (Pós-Graduação Lato Sensu) em Filosofia pela Universidade Gama Filho [UGF/RJ] e Especialista (Pós-Graduação Lato Sensu) em Ciências da Religião pela Universidade Cândido Mendes [UCAM/RJ], o Prof. Luiz Carlos Mariano da Rosa atua como Professor-Pesquisador e Filósofo-Educador no Espaço Politikón Zôon - Educação, Arte e Cultura [EPZ/SP]. Tendo como objeto de interesse a construção do conhecimento e a inter-relação que envolve as formas simbólicas constitutivas da “realidade” humana, além dos princípios capazes de assegurar uma sociedade igualitária e uma ordem política baseada no interesse comum, o Prof. Luiz Carlos Mariano da Rosa desenvolve um trabalho de pesquisa acadêmico-científica de caráter interdisciplinar, multidisciplinar e transdisciplinar que traz como principais áreas de investigação a Teoria do Conhecimento, a Filosofia da Educação, a Filosofia Política, a Filosofia da Religião e a Teologia Filosófica.

Publicado

01/06/2020