Taylor-Fordismo, Toyotismo e novos padrões de lutas sociais

Mauricio Bernadino Golçalves

Resumo


Há um grande e importante debate acerca da natureza da transição operada do modelo taylor-fordista ao toyotista. As diferentes respostas a essa questão suscitam diferentes posições sobre a atualidade das lutas sociais calcadas no trabalho. A transição citada contribuiu para o emergir de movimentos sociais contestatórios (altermundialismo) que vem propugnando a necessidade de novos padrões para as lutas sociais. Esse movimento contestatório se insere no interior do horizonte da nova hegemonia da sociedade burguesa “flexível”. É o resultado e a afirmação dessa nova hegemonia que, por sua vez, evidencia, principalmente pós anos-1960, uma permanente derrota das lutas sociais do trabalho.

Palavras-chave


Trabalho; Altermundialismo; Transição taylor-fordismo-toyotismo; Proletariado

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.32760/1984-1736/REDD/2009.v1i2.1732

Direitos autorais 2009 REDD – Revista Espaço de Diálogo e Desconexão

 

 

 

E-ISSN: 1984-1736

UNESP - Universidade Estadual Paulista / Araraquara
 Rod. Araraquara - Jaú Km1 Bairro dos Machados Caixa Postal 174 CEP: 14.800-901 Araraquara - SP