AUTORITARISMO, CONVICÇÃO E SERIEDADE: ANÁLISE DO ÉTHOS DO DISCURSO DE AUTOAJUDA PARA A TERCEIRA IDADE

AUTHORITY, CONVICTION, SERIOUSNESS: ANALYSIS OF THE ETHOS OF SELF-HELP DISCOURSE FOR THE ELDERLY

Autores

  • Michele Cristina Ueda UNESP – Universidade Estadual Paulista
  • Sandra Denise Gasparini-Bastos UNESP – Universidade Estadual Paulista
  • Anna Flora Brunelli UNESP – Universidade Estadual Paulista

Palavras-chave:

discurso de autoajuda, terceira idade, ethos.

Resumo

Neste trabalho, adotando o ponto de vista da Análise do Discurso francesa, tratamos do éthos do discurso de autoajuda para a terceira idade, isto é, da imagem que o enunciador desse discurso projeta de si ao enunciar. Para tanto, com base em estudos funcionalistas, especialmente na classificação da modalidade proposta por Hengeveld (2004), analisamos a expressão lexical da modalidade nesse discurso, o que se deve ao fato de a modalidade ser uma forma de expressão da subjetividade do enunciador. Também consideramos outros aspectos textuais, como temas e léxico empregados, a fim de identificarmos os tons presentes. A análise revela que predominam nesse discurso um tom autoritário e um tom sério. Diante desse resultado, verificamos que o discurso de autoajuda para a terceira idade tem características que o diferenciam consideravelmente do discurso de autoajuda convencional, que trata do sucesso profissional e financeiro. Entre essas diferenças, está o fato de ser um discurso bem menos otimista.

Downloads

Publicado

21/06/2022

Edição

Seção

Artigos