A formação de dois circuitos da economia urbana por intermédio da ação do Estado: o caso de Cobija (Bolívia)

Autores

  • Leonardo Luiz Silveira da Silva IFNMG - Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais - Campus Salinas. Salinas – MG

DOI:

https://doi.org/10.52780/res.10022

Palavras-chave:

Zona Franca, Estado, Ordem Mercantil, Ordem Social,

Resumo

Situada na periferia territorial boliviana, a cidade de Cobija, capital do Departamento de Pando, desfruta de uma política territorial especial: a regulamentação de uma Zona Franca. A ação do Estado no planejamento territorial permitiu realçar as premissas do modelo de Milton Santos (2004) dos dois circuitos da economia urbana. O estudo de caso em questão apresenta como o Estado pode, por meio de suas políticas que interferem na ordem mercantil, segregar espacialmente o tecido urbano e promover o arranjo da ordem social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Luiz Silveira da Silva, IFNMG - Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais - Campus Salinas. Salinas – MG

Graduado em geografia, especialista em gestão de políticas sociais, mestre em relações internacionais, doutor em geografia

Downloads

Publicado

15/02/2018

Como Citar

SILVA, L. L. S. da. A formação de dois circuitos da economia urbana por intermédio da ação do Estado: o caso de Cobija (Bolívia). Estudos de Sociologia, Araraquara, v. 22, n. 43, 2018. DOI: 10.52780/res.10022. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/estudos/article/view/10022. Acesso em: 14 abr. 2024.