Nas empresas de garagem: reflexões sobre masculinidades, empreendedorismo e mídias digitais

Autores

Palavras-chave:

Mídias digitais, Comunidades, Masculinidades, Empreendedorismo,

Resumo

O artigo analisa as relações entre mídias digitais e apoio emocional, enfatizando as maneiras pelas quais se articulam aos sentidos atribuídos às masculinidades em rede. A pesquisa foi realizada a partir de entrevistas com homens, que se identificam como brancos, heterossexuais e profissionais liberais que fizeram parte de uma comunidade on-line. O estudo mostra como a comunidade, antes de ser entendida como empreendimento inovador, consolida-se a partir de relações entre homens, que encontram um espaço para lidar com as inseguranças profissionais que experimentavam, no que tange às convenções de masculinidades. Nesse sentido, essa rede de socialidade possibilita que sejam empreendedores de si mesmos e busquem transformarem-se em homens socialmente admirados por suas conquistas no trabalho e nas relações afetivas. A comunidade fez dessa modelagem social de masculinidade pelas mídias digitais um modelo de negócios de apoio emocional restrito para homens com perfil social específico de classe social, sexualidade e raça.

Biografia do Autor

Juliana do Prado, UEMS – Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Unidade de Paranaíba. Paranaíba – MS

Doutora em Sociologia pelo Programa de Pós-graduação em Sociologia da UFSCar e mestre em Sociologia pela Faculdade de Ciências e Letras da UNESP de Araraquara. É graduada e licenciada em Ciências Sociais pela mesma instituição, onde iniciou seus estudos sobre mídia, corporalidades e gênero e participou do Grupo de Estudos e Pesquisa em Antropologia Contemporânea. Atualmente é pesquisadora do Núcleo de Pesquisa em diferenças, gênero e sexualidade Quereres, e tem desenvolvido pesquisas sobre mídias digitais, emoções, gênero, sexualidade e diferenças. E-mail: ju.doprado@gmail.com. 

Downloads

Publicado

24/07/2020