A invenção da favela ecológica: um olhar sobre turismo e meio ambiente no Morro Babilônia

Autores

  • Camila Moraes UNIRIO – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro – RJ – Brasil. 22290- 240. Doutoranda em História, Política e Bens Culturais. FGV – Faculdade Getúlio Vargas. Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais. Rio de Janeiro – RJ – Brasil. 22253-900

Palavras-chave:

Turismo, Favela, Meio ambiente,

Resumo

Este artigo trata da invenção do que denomino favela ecológica, processo ocorrido nas favelas Babilônia e Chapéu Mangueira no Morro da Babilônia, Leme, Zona Sul da cidade do Rio Janeiro, de 1989 até 2013, culminando com a criação do Parque Natural Municipal da Paisagem Carioca. Analiso este processo em consonância com a ampliação do turismo em favelas cariocas e compreendo que a invenção da favela ecológica é a união de dois itens que passaram a ser atrativos turísticos: a favela e o meio ambiente/ecologia. O envolvimento dos moradores da favela no reflorestamento da área que deu origem ao recém-criado parque e contribui para a invenção da favela ecológica, através da redefinição da identidade destas favelas, que passam a ser atrelada à ideia preservação do meio ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Moraes, C. (2013). A invenção da favela ecológica: um olhar sobre turismo e meio ambiente no Morro Babilônia. Estudos De Sociologia, 18(35). Recuperado de https://periodicos.fclar.unesp.br/estudos/article/view/6464