“Os afogados e os sobreviventes”: o naufrágio da memória na Itália de Primo Levi

Autores

  • Fernanda Di Flora Garcia UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Campinas – SP – Brasil.

Palavras-chave:

Emergência, Centros de detenção, Imigrantes, Memória, Itália,

Resumo

A política migratória italiana tem sido marcada pela declaração sistemática do estado de emergência e pela proliferação de centros de detenção para imigrantes, solicitantes de asilo e refugiados. Setenta anos após o fim do nazifascismo, o país volta a ser palco de políticas amplamente discriminatórias, que excluem e criminalizam determinadas categorias de pessoas, numa perigosa fusão entre racismo popular e racismo institucional. O objetivo deste artigo é fazer uma reflexão sobre o papel da memória diante das políticas e tragédias recentes na Itália.

Biografia do Autor

Fernanda Di Flora Garcia, UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Campinas – SP – Brasil.

Doutoranda em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas, Mestre pela mesma Universidade.

Downloads

Publicado

19/01/2016