O poeta como leitor de sua obra: a recepção de Ovídio nos Tristia

Júlia Batista Castilho de Avellar

Resumo


Este artigo investiga a recepção das Metamorphoses, da Ars amatoria e dos Tristia por Ovídio, que assume uma posição de leitor das próprias obras em passagens metaliterárias dos Tristia. Nessa primeira coletânea de elegias de exílio, o eu-poético, ao comentar seus versos, adota dois tipos distintos de recepção de suas obras: ora considera o texto poético como verdade e realiza leituras “biografistas”, ora assinala seu caráter ficcional e propõe uma distinção entre vida e poesia. Diante disso, demonstraremos como, ao propor e efetuar diferentes tipos de interpretação literária, o eu-poético na verdade empreende ricas discussões acerca do fazer poético e da recepção de um texto.

Palavras-chave


Autorrecepção; Metapoesia; Ovídio; Tristia;

Texto completo:

PDF


Indexada por: /Indexed by:

Latindex 
Web of Science (Thomson Reuters)
Emerging Sources Citation Index (Thomson Reuters)
LLBA – Linguistic and Language Behavior Abstracts (Ulrichsweb: https://ulrichsweb.serialssolutions.com)
MLA – International Bibliography (Modern Language Associantion/ EBSCOhost, ProQuest)
Academic Search Alumni Edition (EBSCOhost)
Academic Seach Elite (EBSCOhost)
Fuente Academica Plus (EBSCOhost)
Dietrich’s Index Philosophicus (De Gruyter Saur)
IBZ – Internationale Bibliographie der Geistes und Sozialwissenschaftlichen Zeitschriftenliterature (De Gruyter Saur)
Internationale Bibliographie der Rezensionen Geistes und Sozialwissenschaftlicher Literatur (De Gruyter Saur)
C.I.R.C. - La Clasificación Integrada de Revistas Científicas
OCLC – WorldCat - Clase and Periodica
GeoDados

ISSN: 0103-815x

Licença Creative Commons
ITINERÁRIOS - Revista de Literatura is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Proibição de realização de Obras Derivadas 3.0 Unported License.