Quiçá cético: Borges e a estética do assombro

Gustavo Ponciano Cunha de Oliveira

Resumo


Este artigo tem como proposta apresentar o ceticismo de finalidades estéticas próprio ao autor portenho Jorge Luis Borges (1899-1986). A citação que motiva a primeira seção do estudo é retirada do epílogo de Otras inquisiciones (1952), na qual Borges atribui sua abordagem estética de textos filosóficos e religiosos, quiçá, a um ceticismo essencial. A leitura do ensaio “La muralla y los libros” revela-se fundamental ao permitir a comparação do fato estético, segundo Borges, com a suspensão cética do juízo (epokhé). Conclui-se que, diferentemente dos céticos pirrônicos, Borges não empreende, em sua aplicação estética da suspensão do juízo, uma busca pela tranquilidade (ataraxía), mas a manutenção do assombro (taraxía).

Palavras-chave


Borges; Ceticismo; Epokhé; Fato estético; Taraxía;

Texto completo:

PDF


Indexada por: /Indexed by:

Latindex 
Web of Science (Thomson Reuters)
Emerging Sources Citation Index (Thomson Reuters)
LLBA – Linguistic and Language Behavior Abstracts (Ulrichsweb: https://ulrichsweb.serialssolutions.com)
MLA – International Bibliography (Modern Language Associantion/ EBSCOhost, ProQuest)
Academic Search Alumni Edition (EBSCOhost)
Academic Seach Elite (EBSCOhost)
Fuente Academica Plus (EBSCOhost)
Dietrich’s Index Philosophicus (De Gruyter Saur)
IBZ – Internationale Bibliographie der Geistes und Sozialwissenschaftlichen Zeitschriftenliterature (De Gruyter Saur)
Internationale Bibliographie der Rezensionen Geistes und Sozialwissenschaftlicher Literatur (De Gruyter Saur)
C.I.R.C. - La Clasificación Integrada de Revistas Científicas
OCLC – WorldCat - Clase and Periodica
GeoDados

ISSN: 0103-815x

Licença Creative Commons
ITINERÁRIOS - Revista de Literatura is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Proibição de realização de Obras Derivadas 3.0 Unported License.